Gisele Faria

Mãe de 2 ou mais: Gisele Faria

Mãe de dois ou mais - logo

Hoje como convidada, a queridíssima fotógrafa Gisele Faria. A Gi é uma mãe muito dedicada, amiga fiel, companheira de todos os momentos e uma “cidadã do mundo”. Ela morou fora durante muitos anos, passou por experiências enriquecedoras, teve seu primeiro filho nos Estados Unidos, longe da família e agora está de volta ao Brasil (não se sabe até quando! rs…). Ela define a experiência do segundo filho como “surreal” e se sente mais feliz do que nunca por ter amores eternos e irmãos companheiros por toda vida! Vale conferir 🙂

apresentação Gisele Faria

Qual a maior recompensa em se ter 2 filhos? E a maior dificuldade? Ser mãe de 2 meninos é surreal. Muitas vezes me pego olhando para eles sem acreditar que geramos duas criaturinhas tão fofas e perfeitas. As dificuldades são muitas e quase todas provenientes das noites mal dormidas.

As necessidades deles são diferentes assim como seus horários, o que nos coloca (eu e marido) numa jornada dupla todos os dias. Mas assim como as dificuldades, as recompensas também são inúmeras: temos dois amores infinitos e eternos, e o melhor de tudo é que eles tem um ao outro.

Tem como amar os filhos de maneira igual ou lá no fundo existe uma diferença? Tem! Pelo menos até então. Não sei se com o passar dos anos a gente pode criar mais afinidade com um ou outro filho, mas no momento que peguei o segundo nos meus braços senti meu coração dobrar de tamanho. Sempre achei que não conseguiria amar outra pessoa tanto quanto eu amo o Lucas, imaginava que sentiria uma sensação de traição, mas foi bem diferente, foi tudo muito automático, como se o Nicolas já fizesse parte de nossas vidas desde o inicio.

Com a chegada do filho mais novo, como fica a questão do ciúme e sua relação com o filho mais velho? Em sua opinião, qual a melhor maneira de lidar com isso? Achei que não passaria por isso porque meu filho mais velho sempre amou bebês. Ficava me pedindo um irmão e no início ele soube lidar muito bem com a presença do caçula, mas com o passar dos meses tudo mudou. O irmão começou a fazer gracinhas e as pessoas se encantam com um bebezinho sorrindo, balbuciando, tentando andar, e esta é a situação atual na qual me encontro. O Lucas canalizou toda sua frustração contra a minha pessoa. Ficou agressivo comigo, desobediente, e desafiador. Fiquei desesperada e comecei a ler muito e a conversar com outras mães para que me dessem uma luz. Mudei minhas atitudes para mostra-lo que meu amor por ele não havia se abalado. Abraço mais, brinco mais, converso mais, saio só com ele quando posso, mas não deixo que suas crises de ciúme atinjam o irmãozinho (fisicamente), nem relevo sua agressões. Coloco de castigo, explico meus motivos, e tento não me sentir culpada.

Como você gerencia o tempo para cuidar de mais de uma criança? Não gerencio. Vivo um dia por vez. Tem dias que consigo dar mais atenção pra um, outros para o outro. Já havia parado de trabalhar para cuidar do Lucas e planejamos fazer o mesmo até que o Nicolas possa ir para a escolinha. Não contratei uma babá porque planejei educar meus filhos e não assistir eles sendo criados por outra pessoa, então eu e meu marido nos viramos. Valorizo a ajuda profissional e por vezes preciso dela, mas tenho a sorte de poder viver o dia- a dia deles de perto. Ah, de vez em quando conto com a ajuda dos avós, que me salvam nos momentos de aperto.

Lucas e Nicolas

Existe alguma habilidade que eve que desenvolver com a chegada do segundo filho? Sempre fui multitasking, mas essa habilidade atingiu um novo patamar agora com 2 filhos: já consegui almoçar e dar almoço para o mais velho enquanto amamentava o pequeno. Estou sempre fazendo no mínimo duas coisas em paralelo.

O que você aprendeu na criação do primeiro filho e quer repetir ou eliminar na criação do segundo?  Acho que quero repetir quase tudo: os cuidados, as exigências, o número de abraços e beijos, as inúmeras fotos que tirei. Gostaria de mudar: quero me cuidar mais, ter mais tempo para recarregar as energias fazendo com que eles sintam um pouco a minha falta.

O que você gostaria de ter ficado sabendo antes do segundo filho chegar, mas que ninguém nunca lhe contou? Que a rotina estabelecida com o primeiro iria cair por terra e o caos ia se tornar constante, dia e noite (principalmente noite).

Do que você sente mais falta em relação à vida com 1 filho só? Podíamos nos revezar nos fins de semana e tirar um cochilo. Agora isso é impossível.

Gostaria de deixar alguma dica para quem está lendo o post e está pensando em ter mais um bebê? Para muita gente um segundo filho significa uma segunda chance ou um recomeço. Para mim foi um complemento para nossa família, um elo que faltava na vida do Lucas, que agora tem um irmão e companheiro para a vida toda.

Quote Gisele Faria

 



There are no comments

Add yours