ellen cristie

Quando ser mãe? A difícil decisão

Mãe Solteira
Ser mãe ultrapassando qualquer adversidade. Esse sonho me acompanhava desde a adolescência. Eu sempre dizia lá em casa: “Gente, se eu não me casar, vou ser mãe mesmo assim”. Repetia essa ladainha toda vez que me reunia com meus pais e irmãos nos divertidos cafés da manhã em família.

Não que eu não quisesse me casar. Eu era mais uma daquelas adolescentes que pensava no príncipe encantado ou, pelo menos, no marido ideal. Aquele que me acompanharia até o fim da vida como integrante da típica família ‘Doriana’. Mas as coisas quase nunca acontecem como a gente imagina ou como a sociedade nos impõe. Não mesmo.

Mesmo assim, sempre fui muito honesta com meus namorados e pretendentes. Mas, com a idade, aprendi que as pessoas têm ritmos, desejos e habilidades diferentes. Nem todo mundo nasce para ser pai, mãe, ter família ou simplesmente casar.

Parece que eu estava adivinhando. E mãe é um bicho danado. A minha só dizia assim: “Ellen, você não vai se casar. Não é seu perfil, filha”. Nunca levei isso a sério e hoje vejo o quanto nossas mães sabem das coisas.

Pois bem. Aos 36 anos, totalmente afundada no trabalho, e depois de ver que se eu não corresse atrás do meu sonho, ele não se tornaria realidade, percebi um pequeno detalhe: “Meu Deus! No momento, não tenho namorado. E, provavelmente, se arranjar um agora, ele vai pirar quando eu disser que quero ser mãe”.

Ser solteira nunca foi uma barreira para mim, mas muitas pessoas cobram que você seja casada para poder ter filhos. Como se nos dias de hoje houvesse uma fórmula mágica para que as relações familiares dessem 100% certo.

Dito e feito: procurei especialistas e um banco de esperma e comecei a maratona de exames e consultas em busca do meu sonho.

Nessa caminhada, encontrei muito apoio, especialmente da minha família e dos amigos, e trombei também com alguns críticos à minha postura tão determinada de ser mãe sem talvez ter ao lado um pai com rosto.

Falarei um pouco sobre esse percurso ‘tortuoso’ até eu conseguir engravidar em posts posteriores, mas o que gostaria agora é tentar responder minha indagação no título desse artigo: “Quando ser mãe?”.

A decisão de ser mãe é sempre difícil. Não há o momento certo. É agora e pronto. É uma decisão solitária. É única e exclusivamente da mulher. Por mais que as pessoas digam que a decisão é dos dois, no caso do homem e da mulher, ou de duas mulheres ou de dois homens (no caso de homossexuais), isso não é bem assim. Não é preto no branco. Em se tratando de uma mulher fértil, a decisão sobre o próprio corpo é dela. E só dela.

Aos 20, aos 30, aos 40 e até aos 50 anos. Podemos ser mães enquanto tivermos força e, claro, óvulos. Rs. E mesmo que não os tenhamos, existem tantas outras formas de ter filhos. E incluo aqui a adoção.

Então, gente, nesse primeiro post, deixo aqui minha própria experiência: depois de cinco anos de tentativas, três perdas gestacionais naturais, três fertilizações in vitro infrutíferas, muito choro e muitos exames de sangue, fui mãe aos 41 anos.

Meu único arrependimento? Não ter tentado ser mãe antes…

Ellen Cristie



5 comentários

Add yours
  1. Denise

    Emocionante a história da Ellen!
    Deixo aqui meu carinho e, principalmente minha admiração por mulheres
    decididas e corajosas que não se importam com críticas e conseguem realizar
    o grande sonho de suas vidas!

  2. Luciana Guimarães

    A Ellen é minha amiga há trocentos anos! Daquelas do peito mesmo, de falar bobagens, verdades e de sonhar junto. Posso dizer que sonhei com ela esses 5 anos! Chorei também! Mas tinha certeza absoluta que um coração tão grande, tão puro e tão bom ainda ia bater mais forte com o choro de um filho! Falei com ela por uma hora ao telefone, poucas horas antes da Gabi se antecipar ao mundo. E assim que recebi a notícia de que esse sonho estava cá, entre nós, saudável e linda, chorei de novo, de muita alegria! Kit, você e Gabi são muito especiais para mim! Amo vocês duas como irmã e sobrinha, você sabe disso! E, tudo que houver de melhor nesse mundo, desejo a vocês. Sigamos juntas, sempre! ❤️

    • Ellen Cristie

      Nossa! Emoção! Ah, minha amiga querida de tantos anos! Já passamos tanta coisa juntas e separadas, mas sempre em sintonia! Teremos muito a compartilhar aqui e em outras bandas! Sei o quanto você acompanhou cada momento, cada passo, cada retrocesso e cada avanço da minha longa caminhada! Obrigada pelas boas energias, pelas lágrimas, pela amizade incondicional! Te amo muito e toda sua família, que também é um pouco parte de mim! Bjus! Juntas sempre!


Post a new comment