Bruna Remus

Barriga da Vez: Bruna Remus

Logo Barriga da Vez com Bruna Remus

Hoje tenho o prazer de apresentar por aqui uma pessoa muito especial, querida,  linda por dentro e por fora: a Bruna Remus. Bruna é designer apaixonada, inteligente, ativa, amiga, divertida e muito amorosa.  Ela está grávida de uma menininha e conta pra gente como encara este momento tão especial. Uma entrevista linda e cheia de amor <3 Vale conferir!

apresentação Bruna Remus

Sou Bruna, hoje, grávida da Paz, mulher de um marido incrível que se chama Joaquín, filha dos meus queridos pais, irmã de duas gurias lindas, e “mãe” de alguns cãezinhos já não sei por onde começar a me apresentar. Não sei se me digo uma designer apaixonada pelo que faz ou se me apresento através desses vínculos tão profundos que criei ao longo da minha vida. Na verdade, sou tudo isso que eu descrevi. Acho que sou “muitas Brunas”. Assim como a maioria das pessoas, assumo papéis distintos em momentos distintos, sem esquecer da importância de cada uma dessas Brunas que eu falei. Não me achem bipolar, por favor. A minha essência nunca muda, é o que faz a mulher, a filha, a mãe e a profissional serem sempre coerentes.

 

O que a gestação representa em sua vida?
A gestação pra mim representa uma fase de constantes descobertas e a oportunidade da construção de vínculos muito profundos entre marido e mulher e mãe e filho. Muitas dessas descobertas não estão nos livros nem nos blogs. Eu sempre tive a vontade de ser mãe e achei que a coisa funcionava mais ou menos assim: aparecem as duas listras na fitinha do teste de gravidez e a gente passa a se sentir mãe amando aquele bebê que começa a crescer. Para mim não foi. Descobri que os 9 meses não são por acaso. Quando o teste deu positivo, fiquei incrivelmente feliz, fui tomada por uma das maiores alegrias da vida. Aí depois, vem aquele período que a gente ainda não se sente bem grávida, não sentimos o bebê. Me sentia feliz, mas ainda estava querendo entender o que era aquilo.

Me lembro da primeira ecografia na qual vimos ela se mexendo nitidamente e o coraçãozinho batendo… Nem sei explicar a emoção que senti. E aí comecei a me dar conta que o meu vínculo com minha filha ia crescendo aos poucos, não era um chip que instalam nas mães na hora que ela engravida. Conforme a Paz começou a crescer e a se mexer mais e mais dentro de mim, passei a sentir a presença dela, a alma dela e hoje sinto que amo esse bebê cada dia mais. Mas também tenho a impressão de que vai ser assim a vida toda. Descobri que o amor mais profundo não vem pronto, ele é construído com uma mistura de instinto e convivência. Estou curiosa para saber o que vem por aí…

O que é mais legal em estar grávida?
Para mim o mais legal de estar grávida é a reconexão com o nosso instinto e com o nosso lado mais animal. A gente perde o controle do nosso próprio corpo e vai percebendo mudanças constantes e muito intensas. Acho incrível tudo que vai acontecendo para nos preparar para a chegada do bebê. E não posso negar que os mimos e a alegria da família são muuuuuito bons!

O que não é legal em estar grávida?
Agora estou sentindo dificuldade de respiração e as noites de sono não são mais as mesmas pois é difícil sentir-se cômoda. Mas também não é nada com que a gente não consiga lidar.

Você teve / tem algum “desejo de grávida”?
Não tive desejo nenhum… Fiquei esperando, mas eles não apareceram. 🙂 Notei que no início tinha muita vontade de suco de laranja e feijão. Acho que é um pouco daquilo que falei antes, o nosso instinto falando mais alto mostrando algumas necessidades do organismo.

Bruna Remus Quote
Quando a gente ainda não tem filho, a gente sempre fala que não vai permitir um monte de coisa quando a maternidade chegar. O que você acha que nunca vai fazer em relação a seu filho?

Acho essa pergunta tri perigosa! Hehehe… Não somos muito de teorizar e programar como vamos fazer cada coisa, nunca nos chamou atenção os livros do tipo “dez passos para fazer alguma coisa com o seu bebê”. Então temos algumas ideias que refletem o nosso jeito e nossa rotina, pois acho que é isso que conseguimos por na prática.

Por exemplo, não acho interessante o uso de tecnologias em excesso com as crianças muito pequenas, então tv, ipads e outros eletrônicos eu quero deixar para quando ela estiver maior. Penso muito na alimentação, então tenho grande vontade de amamenta-la por um bom tempo, sem forçar um fim do período de amamentação, gostaria que isso acontecesse da forma mais natural possível e gradual. E depois, cuidar com alimentos industrializados, excesso de açúcar e outros. De resto, acho que só vivendo para saber. Né?

Existe alguma postura das outras pessoas em relação às grávidas que a incomoda?
Os conselhos excessivos como se existisse uma fórmula perfeita para criar um filho. Procuro escutar o que as pessoas dizem, mas filtro a maior parte. Cada família é única e temos que encontrar o NOSSO jeito de ser mãe e pai. Só trago para mim aquilo que parece coerente com quem eu sou.

Bruna Remus e Joaquin
Conte um fato curioso que aconteceu com você na gravidez.
Não me lembro de algo curioso ou poderia dizer que tudo que acontece é curioso… principalmente na primeira gestação, que é o meu caso. Mas a gente se sente bem diferente, agora mais para o final fiquei mais distraída e esquecida, porém super tranquila. No segundo trimestre eu oscilei muito o humor, fiquei mais irritada, e no terceiro mês, como se fosse mágica, aquele sono inacreditável que todo mundo te conta que acontece e a gente sempre desconfia.

Que mundo espera para seu bebê?
Espero um mundo com mais amor e cheio de pessoas que pensem no bem estar comum, que tenham respeito e carinho pela natureza entendendo que somos parte dela.

Uma ansiedade ou medo:
Não senti ansiedade e medo durante a gestação. Sempre acreditei que isso acontece há milhares de anos e ás vezes em condições muito adversas e tende sempre a dar certo. Então porque comigo seria diferente? Me preocupei apenas em organizar a parte profissional, pois sou autônoma e quando ela nascer quero ter tranquilidade para me dedicar a ela.

Deixe um conselho para outras grávidas e futuras mamães.
Temos que confiar em nós mesmas, no nosso instinto e intuição. A gravidez me parece o momento perfeito para nos conectarmos com o nosso lado mais íntimo e verdadeiro.

 

Flores



There are no comments

Add yours