giulie

Carta aos meus pais

Mãe e pai,

Por muito tempo ouvi vocês falando que certas coisas eu só aprenderia depois de “grande”. Não sei se o “grande” já chegou, mas estou muito feliz em perceber que, nesse exato momento, já sou capaz de entender parte do que me ensinaram.

É estranho ver que as crianças de hoje são muito diferentes da criança que eu fui. Sei que não devo comparar essa infância de hoje com a de vocês dois, pois são duas realidades totalmente diferentes que mal dialogam entre si. Mas, posso comparar minha infância com a de agora. Não faz tanto tempo assim, como vocês mesmos gostam de me falar.

Giulie 01

Alguns anos atrás eu não possuía um bom celular ou um computador. Lembro que, naquela época, mãe, você tinha um celular legal, mas que nunca serviria para uma criança como eu, que passava o dia correndo, pulando e brincando. Eu sequer me importava com as fotos que podíamos tirar com aquele aparelho porque estávamos sempre nos divertindo demais para lembrar de fazer fotografias.

O pai tinha um computador que usava para trabalhar. Eu me restringia a digitar algumas palavras aleatórias no “Word” e fazer alguns quadrados coloridos no “Paint”. Não fazia mais que aquilo, apesar de ver você digitando vários relatórios por dia. A ideia de brincar ou assistir um desenho me parecia muito mais legal. E, realmente, era.

Giulie 02

Não tenho nenhuma recordação de ter passado meus 11, 12 ou 13 anos usando roupas inapropriadas para mim. Lembro dos vestidos coloridos, das bermudinhas soltas e dos chinelinhos com desenhos. Era tão bonito, não é? Hoje, vejo muitas crianças usando roupas de adulto. Saltos, vestidos curtos… Acho estranho.

Quando eu era menor, pegava escondida os sapatos da mãe e saía correndo pela casa; até cair era divertido! Mas, tenho certeza que não sairia usando um par daqueles. Afinal, como poderia brincar com aquilo? Maquiagens também eram assim. Via você usando várias e o máximo que me era permitido era um batonzinho, “para dar cor na boca”. Ainda bem.

Giulie 03

Mãe e pai, vocês me deram brinquedos, vocês me deram viagens, vocês me deixaram ir na casa dos meus amiguinhos para brincar. Mas hoje percebo que a melhor parte dessa infância não era a minha boneca nova ou aquele vestido bonito que tanto queria e sim o fato de me deixarem SER uma criança.

Vocês permitiram que eu caísse, que eu me machucasse, que eu rasgasse todas as roupas novas de tanto me divertir. Permitiram ainda que eu dançasse na frente da televisão, mas não saísse vestida como uma mulher na rua. Vocês não me deram um bom celular quando eu era uma criança e agradeço por terem salvado meu tempo, me poupando de um feed infinito que em nada me acrescentaria.

Obrigada também por terem me deixado sair por vários anos de “cara lavada”. Isso me permitiu ter a melhor maquiagem da minha época: a areia da pracinha no rosto, o resto daquele sorvete que o pai me levava para tomar todo o domingo e as vezes, até algum machucadinho corriqueiro.

giulie 04

Vocês me fizeram criança de todas as formas. Acredito que todas as fases da vida são, de fato, lindas, mas de nada adianta se não aproveitarmos cada uma delas. Não posso mudar a cabeça dos pais de hoje, mas acredito que criança tem que ser criança! Gostaria que essa fase tão linda fosse vivida em sua intensidade, talvez assim, as crianças de hoje perceberiam, no futuro, como é maravilhosa a inocência da infância e como acelerar o tempo é algo que não te leva mais rápido a nenhum lugar.

Pai e mãe, apenas aguardo que essas crianças tenham a oportunidade de perceber o verdadeiro valor que esses anos têm em nossas vidas. E sobre essa carta, fico muito feliz em saber que tive o tempo suficiente para poder agradecer pela minha infância e ter compreendido todo o esforço de vocês. Não poderia ter sido uma época melhor em minha vida.

Com carinho, Giulie.



3 comentários

Add yours
  1. Léa Rosa

    Que amor Giulie.
    Também guardo estes doces momentos da minha infância. E como mãe, torço muito que o meu pequeno curta tanto quanto eu.
    bjs
    Léa

  2. Tia Leda e tio Joelcio

    Querida Giulie!
    Nada mais gratificante para os pais, do que ver seus filhos felizes e realizando seus sonhos!
    Também é a gratidão e o amor dos filhos, o maior presente que os pais podem receber em suas vidas. Você é uma filha (sobrinha) de ouro! Nós te amamos! bjssssssssss

  3. loiva

    Palavras lindas e cheias de significado..minhas 3 filhas adultas tiveram uma infância parecida com a sua. Saiba que suas palavras me animam a contribuir p que minhas netas vivam esse tempo de forma a valorizar o que realmente deve ser importante…que Deus continue no comando da sua vida


Post a new comment