Pesquisa RM: amamentação

Maternidade em números: Amamentação

Perguntamos para 72 mães por quanto tempo elas amamentaram e também se elas consideraram este tempo adequado. Embora esta pesquisa esteja longe de ser uma pesquisa científica (e nem é este o nosso propósito!), é interessante apresentar alguns dados para desmistificar ou comprovar algumas crenças que a gente tem e também para conhecer outros pontos de vista.

Nesta pesquisa rápida percebemos que o mais comum foi a amamentação ocorrer entre 6 meses a 1 ano; esta foi a resposta de  31,9% da amostragem, ou seja, 23 mulheres. Apenas 9,7% das enrevistadas, o que corresponde a 7 mulheres, amamentou a criança de 1 ano e meio a 2 anos. E amamentação após os dois anos? É cada vez menos comum! No nosso caso, apenas 4,1% das respondentes (3 mulheres) afirmou amamentar após os 2 anos. E se somarmos as mães que amamentaram entre 0 a 6 meses encontramos um resultado quase igual ao daquelas que amamentaram de 6 meses a 1 ano. Interessante, não?

A maioria absoluta das entrevistadas, 76,3%, considerou adequado o tempo em que amamentaram. Apenas 18% relatou que gostaria de ter amamentado por mais tempo. Importante ressaltar que 5,5%  das participantes estava amamentando na época em que responderam ao questionário.

Interessante perceber com este resultado que, independente do tempo amamentando, as mulheres estão tranquilas em relação às suas escolhas (ponto pra gente, né?). Veja só algumas respostas: 

A amamentação durou o todo o tempo “solicitado” pela minha filha, o final foi natural para nós duas.

Acredito que foi um período mais que suficiente para meus filhos desfrutarem dos benefícios do leite materno e não ficou desconfortável para mim e para eles (eram grandinhos, mas nem tanto… ficavam bem na posição de mamar).

Considero pouco o tempo em que amamentei, ainda que tenha sido acima da média entre minhas conhecidas. Gostaria de ter amamentado mais, mas minha filha foi perdendo o interesse, até parar completamente. Foi no tempo dela.

Gostaria de ter amamentado mais tempo, até os 6 meses, mas infelizmente não consegui manter a produção de leite.

O tempo em que amamentei foi adequado. Minha produção era muito aquém do necessário para nutrir meus bebês devido há uma mamoplastia redutora que realizei há 17 anos. Minha primeira filha perdeu peso até 18 dias de vida, perdendo 20% do peso de saída da maternidade nesse período. Depois de 18 dias de uma árdua tentativa de amamentação exclusiva, a pediatra me orientou a complementar com o copinho, o que fiz até 3 meses. Com 3 meses ela perdeu o interesse pela amamentação no seio e aí eu introduzi a mamadeira.

Amamentei por 7 meses e considero que foi completamente adequado. Meu filho já estava tomando suco, comendo frutas e eu já havia retornado ao trabalho. Ele estava bem nutrido, se adaptou bem a mamadeira e a papinha salgada, enfim não tive nenhum problema no desmame. Quem sentiu mais falta fui eu, mas foi importante tanto para independência dele quanto a minha.

Eu tinha pouco leite e desde cedo dava complemento. Foi o suficiente para mim.

Hoje a relação com meu filho é plena! Sinto que quando amamentava estava mostrando o mundo através do meu olhar! Era o primeiro contato com o mundo que ele estava a descobrir. Cantava “Aquarela” enquanto segurava sua mãozinha transmitindo segurança. Fazia um momento único…somente nós dois em um ambiente calmo e acolhedor! Acredito que a amamentação e a vacina pra vida!!!! Tanto na parte física quanto pisiquica! 

Minha filha gostava muito e eu sempre curti o momento especial meu e dela. Como eu tinha muito leite achei legal amamentar muito tempo. Fui muito criticada, muitas pessoas falavam que ela já era grande, mas não liguei, fiz o que achei bom pra gente!

Meu segundo filho foi prematuro. Ficou em UTINeo. No período de internação só pude amamentar nos últimos 3 dias antes da alta. Até esse momento, ordenhei 4 vezes ao dia para entregar na UTI. A cada ordenha eu “esvaziava” os dois seios, mas totalizava 10 ml de leite para ele, muito aquém do que precisava para ganhar peso. Obviamente o complemento foi iniciado nos primeiros dias de vida. Com 25 dias ele já não tinha mais interesse em amamentar no seio. Foi quando introduzi a mamadeira e diminuímos aos poucos a oferta do seio. Foi o tempo adequado para a nossa situação. Não havia como manter a amamentação por um tempo mais prolongado e, então, considero que foi a escolha mais adequada e que promoveu mais saúde para meus filhotes.

E você?  Tem algo para compartilhar sobre este assunto? Deixe um comentário aí embaixo 🙂 Beijos!



There are no comments

Add yours