Sheila Pesa

Mae de 2 ou mais: Sheila Pesa

logo mae de dois ou mais

Hoje apresento uma mãe linda e super dedicada, a Sheila Pesa. Sheila tem 35 anos, é fisioterapeuta, mas desde a gravidez de seu filho mais velho, não exerce a profissão, optando por se dedicar mais à maternidade. Atualmente ela concilia a vida de mãe de dois com o trabalho na loja virtual BBDU, uma loja online bem legal que comercializa produtos voltados ao universo infantil. Sheila afirma que desde sempre quis ser mãe, e mãe de 2! Olha só:

Sheila Pesa apresentação

Qual a maior recompensa em se ter 2 filhos? E a maior dificuldade? 
Maior recompensa que receber sorrisos, abraços e muito carinho em dobro? Além dessa retribuição incondicional do amor que a gente dá a eles, tem uma coisa que ainda me deixa “babando”, que é a cumplicidades entre os irmãos. Vê-los interagindo, compartilhando, brincando, se ajudando, consolando o outro que se machucou…não tem preço. É coisa que não se explica e não se mede!

Com certeza a maior dificuldade é gerenciar o tempo familiar. Acho importante ter um momento só dos pais também. Aqui, procuramos fazer programas em família, mas também a dois (mais raros, é claro!). Quando a Bruna nasceu, fiquei muito envolvida com ela, pois o bebê demanda muito mais da mãe, naturalmente. Enquanto eu fazia a rotina com ela, o pai se envolvia mais com a rotina do mais velho. Com isso, também percebi a necessidade de encontrar momentos só meus e do Felipe, e mostrar pra ele que eu estava ali para os dois, e não só para o bebê que acabava de chegar.

Tem como amar os filhos de maneira igual ou lá no fundo existe uma diferença?
Sobre amar igual…Não sei como medir o amor! O que deu pra perceber é que o que eu sentia pelo Felipe não se dividiu quando a Bruna chegou. Simplesmente mais do que dobrou. A gente pensa que ama tudo que dá, mas não tem ideia da dimensão que isso pode tomar. Afinidade maior com um ou com outro, pode ser que ocorra. Mas amor, não dá pra fazer comparações!

Aquele serzinho que chegou foi me ensinando muita coisa. E o medinho de amar mais um do que o outro foi passando. Eu não esperava, mas a minha admiração pelo Felipe cresceu ainda mais. Ver os dois juntos foi a experiência mais incrível da minha vida! Não é à toa que choro cada vez que assisto ao vídeo do nascimento da Bruna, na parte em que o Felipe a vê pela primeira vez na maternidade!

cuidados irmão

Com a chegada do filho mais novo, como fica a questão do ciúme e sua relação com o filho mais velho? Em sua opinião, qual a melhor maneira de lidar com isso?
Por incrível que pareça Felipe não teve ciúmes com a chegada da mana. Eu já conversava com ele antes mesmo de engravidar, sobre ter uma irmã ou irmão. As coisas foram acontecendo naturalmente e acho que, além das nossas conversas, a diferença de idade entre eles também ajudou. Com 3 anos e meio já conseguia entender um pouquinho, mas também não tinha a total noção de que teria que ”dividir” muita coisa dali pra frente.

Já a maninha….como é ciumenta! Kkk Muito mais apegada a mim, não podia ver o mano no meu colo! Brigava com ele! Mas a gente foi conversando e brincando muito juntos, e agora cada um sabe que pode ter seu momento “colinho da mamãe” quando precisam!

Como você gerencia o tempo para cuidar de mais de uma criança? 
Tenho sorte de poder contar com a família em momentos que não posso estar com eles, e também acredito que a escola pode ser uma ótima aliada. Como autônoma, fiz a opção de ficar com eles em casa por mais tempo, e ambos começaram a ir para a escola por volta dos 11 meses, por meio turno. Atualmente optei por trabalhar numa empresa que me dá flexibilidade para estar presente nos momentos mais importantes do desenvolvimento deles. Não defendo nem o lado de quem larga tudo para cuidar dos filhos, nem os das mamães que ficam em casa apenas durante a Licença Maternidade. Nem sempre a gente consegue fazer como gostaria, mas cada família tem sua rotina e suas necessidades, e não cabe julgar.

criancas

Existe alguma habilidade que teve que desenvolver com a chegada do segundo filho? 
Sem contar a paciência, que deve ser exercitada a cada dia, percebi a necessidade de ouvir mais. Como é difícil resolver um conflito entre os dois filhos, ouvindo a versão de cada um… Sim,  injustiças acabam acontecendo. Mas é importante ouvir ambos os lados e, às vezes, não tomar uma decisão de imediato. Nem sempre existe só um lado certo da história!

O que você aprendeu na criação do primeiro filho e quer repetir ou eliminar na criação do segundo? 
Aprendi que as diferenças existem, que cada um tem suas necessidades, e que rotina é tudo! Cada criança e cada família tem seu ritmo, mas aqui em casa tem uma coisa que não abro mão: a rotina do sono do bebê. Dormir tarde e cada noite num horário não é o ideal. E aqui eu consegui, desde a chegada da maternidade, manter uma rotina na hora de ir pra cama e não passar das 21h! Claro que às vezes tem festinha e já estão crescendo… mas no primeiro ano deles, foi fundamental!

Felipe e Bruna Pesa
O que você gostaria de ter ficado sabendo antes do segundo filho chegar, mas que ninguém nunca lhe contou?
Que eles são totalmente diferentes um do outro! Todo mundo fala que o primeiro é mais dificil, e que no segundo a gente já sabe muito mais coisas… Bem, pra mim foi tudo ao contrário. Eu achei tudo muito simples e fácil da primeira vez. O Felipe se enquandrava naqueles bebês descritos nos livros, que a gente impõe uma rotina e tudo funciona. Até que chegou a Bruna e me fez rever tudo o que eu (achava que) sabia sobre ser mãe.

Cada semana ela mudava o ritmo e eu tinha que “rebolar” para saber como lidar com a nova fase da mocinha! E ainda estou aprendendo que, mesmo que a lição seja a mesma, pra cada um eu tenho que ter uma abordagem diferente.

Do que você sente mais falta em relação à vida com 1 filho só?
Quando se tem filho a vida muda e abrimos mão de muitas coisas. Ainda assim, é possível gerenciar um tempinho para si, ou para o casal. Com 2 filhos, isso se tornou um pouco mais complicado, até porque se volta a ter um bebê, que é mais dependente, tem mais necessidades e demanda mais tempo. Sinto falta de viajar e sair sem ter hora pra chegar… Mas à medida que eles vão crescendo, isto pode voltar a acontecer algumas vezes.

Sheila Pesa

Gostaria de deixar alguma dica para quem está lendo o post e está pensando em ter mais um bebê?
Em primeiro lugar, é fundamental que ambos (pai e mãe) queiram ter o segundo filho. A maternidade não é uma mar de rosas, mas se ambos estiverem dispostos, fica tudo mais leve. E respeitar as diferenças entre os filhos!

 



There are no comments

Add yours