4 passos para planejar a vinda do primeiro bebe

4 passos para planejar a vinda do primeiro bebê

O primeiro filho pode vir depois de um longo período de espera ou de um jeito completamente inesperado. Causa um misto de felicidade, surpresa, medo e transforma a vida de uma família inteira. E essa mudança não envolve somente a preparação para encarar o mundo com os olhos de mãe, mas também a responsabilidade financeira que a chegada do bebê exige.

Muitas mães de primeira viagem podem ficar perdidas, tentando calcular o quanto é preciso juntar ou como reorganizar a vida financeira para lidar com os gastos do filho. Com disciplina e comprometimento é possível fazer isso sem cair em dívidas, afinal, o dinheiro desperdiçado em juros pode ser usado para investir no futuro da criança.

Para evitar complicações financeiras, vale dar uma olhada em algumas dicas que podem ser bem úteis principalmente nesta primeira etapa, que é um período de adaptação a uma nova vida.

GARANTA O PLANO DE SAÚDE

Pense na quantidade de consultas médicas que você terá durante o período de gestação. Mais além, pense ainda no acompanhamento pediátrico que seu filho vai precisar, principalmente nos primeiros meses de vida. É bom possível que você faça até amizades no hospital/clínica médica, porque as idas por lá farão parte da rotina por um bom tempo!

Isso é fundamental para garantir o seu bem-estar e também o da criança. Arcar com tudo isso pagando o valor de consultas particulares a cada visita sai MUITO caro, portanto, o plano de saúde é fundamental neste momento.

FAÇA UM PLANEJAMENTO DAS NECESSIDADES BÁSICAS

Alguns itens são indispensáveis e o melhor é preocupar-se primeiro com eles. Coloque na ponta do lápis o quanto você deve gastar com carrinho de passeio, berço, banheirinha, fraldas. Organize um chá de bebê e chame todos os amigos e parentes! A ajuda das pessoas é muito importante neste momento, tendo em vista que no evento você provavelmente vai ganhar muitas fraldas, roupinhas de criança, brinquedinhos e utensílios, como mamadeira e pratinhos divertidos para quando o bebê já estiver um pouco maior.

NÃO DEIXE-SE LEVAR PELA EMPOLGAÇÃO

É natural que você queira dar tudo de melhor a seu filho daqui em diante, mas é importante que você seja realista quanto à sua situação financeira. O ímpeto é de decorar o quarto todo com um lindo papel de parede, comprar todas as roupinhas infantis que encontrar nas vitrines e também uma variedade enorme de brinquedos.

Se você fez as contas das necessidades básicas e viu que ali seu orçamento já ficou bastante comprometido, controle seus impulsos. Deixe o quarto do bebê organizado, bem limpo e confortável. Isso será suficiente para garantir o bem-estar dele. Afinal, o papel de parede serve apenas para satisfazer seu próprio gosto.

Assim como você não deve escolher suas roupas por impulso, comprar as roupinhas do bebê também é uma tarefa que exige controle. A maioria delas parecerão encantadoras, mas o mais importante é: qual a quantidade de roupinhas que seu filho realmente precisa? Seja bem objetiva, separe peças para o calor, para o frio, algumas para passeio e outras para quando ele estiver em casa.

Comprar muitas roupinhas por impulso acaba sendo desperdício, tendo em vista que a criança cresce muito rápido. É bem possível que depois do chá de bebê a criança ainda ganhe vários presentinhos durante as visitas de parentes e amigos. As roupinhas costumam estar entre os itens preferidos na hora de presentear.

Comece desde já a incentivar o interesse pela descoberta do mundo de forma educativa. Não limite-se a comprar apenas brinquedos caros e que são apenas coloridos ou com muitas luzes. Motive-o a interessar-se por livros infantis, jogos para montar palavras, descobrir os números. Além de colaborar para a educação de seu filho e o desenvolvimento da inteligência dele, esses itens costumam ser bem mais baratos do que esses brinquedos que fazem tudo sozinhos, desde que você simplesmente aperte um botão.

BUSQUE CONSELHOS

Para quem ainda não conhece bem o terreno onde pisa, nada melhor do que trocar experiências com quem já tem tempo de estrada, não é? Se você é mãe de primeira viagem, converse com amigas e parentes que já tiveram filhos, faça perguntas, procure saber o que elas fizeram para custear as despesas da criança.

Diante de tudo que ouvir, tenha bom senso para absorver o que for produtivo e procure não cometer os mesmos erros que essas pessoas possam ter cometido.

Por fim, prepare bem o coração! Tem alguém chegando para morar lá definitivamente!

 E você, como lidou com o orçamento para ter seu primeiro filho? Conte-nos sua experiência aí nos comentários!



There are no comments

Add yours