Crescendo com o meu Filho

Crescendo com o meu filho

Aos 18 anos fiquei grávida, assim, muito cedo passei pelas experiências da maternidade. Enquanto minhas amigas estavam preocupadas com festas, eu assistia Tundercats com o Pedro, e acredite, gostava tanto quanto ele de ver desenhos.

Os meus tempos sempre foram trocados, na fase dos 30 e poucos anos, quando minhas colegas de trabalho estavam pensando em constituir família, meu filho já era adolescente, e agora, aos 40 e poucos, quando os filhos das minhas amigas estão iniciando a vida escolar, meu menino está formado e morando em uma República.

Sempre soube que as minhas vivências como mãe foram muito diferentes de quem planejou um filho aos 30 anos, por exemplo. Eu cresci junto com o meu filho, experimentando danoninho e assistindo programas infantis juntos, mas nem por isso deixei de ser mãe, de colocar limites e dar colo (até hoje, inclusive).

Luz e Pedro bebê
Luz e Pedro ainda bebê – arquivo pessoal Luz

Também nunca fiquei de fora das conversas sobre crianças, quando as minhas amigas se reuniam e discutiam marcas de fraldas, eu contava que o Pedro usou fraldas de pano, pois em 1989 as descartáveis eram muito caras. Claro que são experiências diferentes, afinal, ter que lidar com um adolescente resmungando, todo vestido de preto, quando você tem 34 anos é um desafio.

Acredito que a maternidade traz sempre novas descobertas. Lá se vão 26 anos de parceria com o Pedro, hoje um pós-adolescente, aquele limbo entre a adolescência e a vida adulta. As questões não são mais os limites de uso do computador, ou o horário de fazer as tarefas, mas continuam se colocando, afinal é filho, e mesmo crescido, espera chegar na casa da mãe e ter uma panela com algo gostoso fumegando…

São essas as ideias que quero tratar neste espaço, as vivências da maternidade e os nossos, embora bem crescidos, eternos bebês! E você? Tem um bebê crescido em casa e gostaria de compartilhar emoções e experiências? Deixe registrado aí nos comentários!



3 comentários

Add yours
  1. Rose

    Linda sua história Luz, a minha já foi bem diferente fui mãe aos 42 quando achei que não teria mais esta experiência. Deus me presenteou com um lindo menino. E confesso não tinha idade melhor, pois quando as baladas ja não tinham mais tanta importância pra mim eu tive serenidade pra ficar em casa cuidando do meu bb. Hoje aos 53 e ele 11 me me vejo obrigada a saber de games,animes, vingadores…etc. Uma renovação e atualização fantástica. Bjs


Post a new comment