O que é real e o que é fruto da imaginação?

O que é real e o que é fruto da imaginação? 

É impressionante a velocidade com que as crianças começam a verbalizar o que antes estava apenas no plano das ideias. Se é verdade que a maioria delas domina as estruturas básicas de sua língua materna já aos 4 anos e o vocabulário já é considerado ‘sofisticado’ com essa idade, antes mesmo disso o leque de palavras é bem vasto.

A imaginação e a fantasia tomam conta do cotidiano infantil, combinados com momentos reais do dia a dia, gerando histórias divertidas e verdadeiras aos olhos de outros adultos. 

Minha filha anda ‘usando a imaginação’ e relatando fatos irreais a meu respeito. Outro dia disse para a babá que eu saí de casa e a deixei sozinha… “ela foi comprar passagem e me deixou aqui”…

Quando cheguei em casa, a babá começou me questionando, mas viu que a história não se encaixava com meu perfil de mãe ‘que nunca deixaria a filha de 2 anos e meio sozinha em casa’. 

Em outro episódio, soltei um ‘saco’ para um prato que deixei cair e acabou quebrando… no dia seguinte, olha lá a Gabi falando ‘saco’. Como me arrependi de ter xingado na frente dela inadvertidamente. Fico pensando na nossa responsabilidade em transmitir bons ensinamentos a nossos filhos.  

Nos fins de semana, quando a agenda de tarefas é mais solta, ela fica meio ‘louquinha’ e não para de falar, cantar, dançar e brincar. Fica 2, 3, 4 minutos falando sozinha, pulando, soltando frases nem sempre inteligíveis, mas muitas das palavras referem-se a momentos recentes vividos por ela, por coleguinhas ou pelos pais. Olha só:

No livro Aquisição de Linguagem, de Michèle Kail (Editora Parábola), a autora explica que o período entre 12 e 36 meses é crucial, pois “é marcado pela defasagem entre entendimento e produção, na estruturação interna do léxico em classes de palavras, mas também pela forte variabilidade de um indivíduo a outro”. 

Por isso, alguns pais ficam preocupados com aquele filho que não fala ou fala pouco… mas como dizem, tudo a seu tempo e cada um no seu ritmo. 



There are no comments

Add yours