post leitura

Crianças: a importância de ensinar o hábito da leitura

Em nossa casa sempre amamos os livros. Eu sempre gostei de ler! Lembro que nas férias visitávamos meus avós maternos e paternos, cada um em cidades diferentes; as horas na estrada eram longas e eu sempre tinha um livro na mão. Quando conheci meu marido e começamos a namorar, descobri que ele preferia ganhar livros às roupas, perfumes e relógio! E quando nos casamos, descobri que não haveria espaço em nossa nova casa para tantos livros!

Quatro anos depois planejamos e fomos abençoados com a gravidez. Muita alegria e preparativos! Em meio a exames pré-natal, consultas, berço e cor do quarto, iniciamos uma mini biblioteca. Na verdade, já tínhamos alguns livros infantis e adquirimos outros. O objetivo era um só e a decisão unânime: “se depender de nós, este bebê irá conhecer e amar os livros!”

Hoje, nosso pequeno Benício, tem 2 anos e 5 meses e AMA os livros que tem e os que encontra em qualquer lugar também. Não é novidade que a leitura traz benefícios para qualquer pessoa, adultos ou crianças. Mas, para as crianças, o impacto é ainda maior! Elas estão no processo de aprendizado; ávidas a explorar e conhecer tudo ao redor! Além disso, elas têm uma capacidade incrível de assimilar os costumes e replicá-los. Ouvi de Ziraldo em uma entrevista: “Um pai não pode imaginar o que ele faz por um filho se ele botar o filho no colo e ler uma historinha para ele”.

Existem vários estudos que afirmam que o estimulo à leitura pode começar com o bebê ainda na barriga. Ler um livro em voz alta vai fazê-lo reconhecer sua voz, aumentar o vínculo e ajudar no desenvolvimento emocional.

Nos primeiros meses de vida, ler para o seu bebê vai mostrar a ele que dentro daquele objeto que você segura tem uma imensidão de palavras, cores e vozes. Sim! Os livros infantis devem ser lidos com entonação, mudando a voz dos personagens e imitando os animais. Enquanto você lê com o bebê no colo o contato emocional com seu filho aumenta. Ele irá relacionar este ato à sua voz, ao carinho e afeto daquele momento especial.

Quando o bebê começar a pegar objetos, você poderá abusar dos livros infantis de tecido e plástico. Esse período também é o início da fase oral, portanto não se incomode se o bebê levar o livro à boca. Por que vamos combinar neh?! Quem resiste a um livrinho? humm…

Peter Hunt, foi o primeiro britânico a escolher a literatura infantil e juvenil para tema de um PHD. Em entrevista, quando perguntado sobre a tendência de os livros infantis apresentarem recursos não verbais (texturas, tecidos, dobraduras), ele respondeu: “Na minha opinião, as crianças deveriam interagir com os livros e a arte de toda as formas possíveis – tocando, sentindo – até mesmo provando – e lendo também. “ Portanto, deixe-os manusear como quiserem, afinal nosso objetivo é que eles sejam amigos!

Livros infantis
Livrinhos de tecido e plástico – Arquivo pessoal Vira Páginas

À medida em que vão crescendo, as reações à leitura são cada vez mais gostosas de acompanhar. Eles passam a observar as ilustrações, as cores, as letras, os sons que você emite ao ler e os ritmos. A leitura também estimula a fala, amplia (e muito!) o vocabulário e solta a criatividade e a imaginação!

Na fase que estamos vivenciando com Benício (2 anos), já podemos ver alguns frutos. Ele escolhe os livros que quer ler, senta no chão, vira o livro em nossa direção e conta a história: “Era uma vez …E aí…aí…” . Também nos convida para brincar de “Davi e Golias”, sua história favorita para hora de dormir. A almofada do sofá vira escudo, as colheres viram lança e funda*. Pronto! Já estamos no meio do campo, ops!, da sala preparados para mais uma batalha onde o gigante Golias acabará caído e o pequeno Davi, de braços erguidos, vibrará sua vitória! É delicioso, gente!

*Funda: uma arma de arremesso, parecida com um estilingue, constituída por uma correia ou corda

Benício lendo
Benício contando “Chapeuzinho Vermelho” – Arquivo pessoal Vira Páginas

Fico imaginando a harmonia deliciosa de tudo isso dentro de um cérebro em desenvolvimento e totalmente aberto ao aprendizado! Por isso convido você hoje a ler, contar histórias, fazer teatro das histórias lidas e dar livros infantis de presente aos seus filhos, aos amigos de seus filhos e às crianças ao seu redor. Depois, é só acompanhar os benefícios que tudo isso vai gerar!

 

 



2 comentários

Add yours
  1. Elaine

    Perfeita a sua postagem. Também acreditamos muito que o incentivo a leitura é essencial para o desenvolvimento das crianças. A Maria (05 anos) ama os livros desde bebezinha e por isso criamos um blog para compartilharmos as suas opiniões sobre os livros que lemos.

    Beijinhos.


Post a new comment