0081CB150915

Espaço para filiação

Minha tarefa no evento RELEVE-SE promovido pelo blog Real Maternidade era falar para pais e mães sobre Presença Plena. Até ontem eu acreditava que o afeto era o primeiro impulso da Presença Plena, o que não deixa de ser. Entretanto, depois de ouvir o relato de Lucimar e Rafael, casal de pais do João, de 5 anos, percebi que é a coragem que mobiliza o afeto, sem ela nada se aprofunda, nada muda e pode até não se manifestar. Coragem para demonstrar o afeto incondicional.

Luciamar e Rafael - Releve-se
Relato do casal Rafael Gerhard e Lucimar Quadros no RELEVE-SE: Encontro Real Maternidade para quem tem filhos – Fotografia: Caroline Bicocchi

Vivenciei o quanto a coragem muda a sociedade e é capaz de destruir preconceitos. No entanto, é necessário que esse impulso parta de um propósito e de uma profunda e amorosa convicção. Coragem sem propósito de vida pode ser destruidor.

Através das experiências vividas pelo casal em suas tentativas de adotar João percebi o quanto somos responsáveis pela manutenção de uma sociedade constituída a partir de preconceitos e exclusão, sem considerar as reais necessidades de afeto que todos nós seres humanos temos para viver. Independente de quem nos dá amor, se é uma mãe e um pai, duas mães, dois pais como no caso do menino, nós precisamos é que nos cuidem e respeitem. João tem dois super pais. Como assim? Será criado sem modelo materno? Como será no futuro? Nada pode substituir uma mãe! Por conta dessas questões, não havia espaço na capa da agenda da escola para dois nomes masculinos. Nome do pai. Nome da mãe. A palavra “filiação” liberta o preconceito, um caminho para a inclusão. Por sinal, por que não tem trocador de bebê em banheiro masculino?

A ação movida contra o INSS para que Lucimar conseguisse a licença maternidade como funcionário do Banrisul foi outro movimento sofrido e corajoso, que demandou exposição e desgaste até ser aprovado. Uma determinação dessas move a montanha do preconceito. À luta pelo direito de dar afeto a alguém que foi entregue para adoção ao nascer juntava-se a coragem rotineira de enfrentar o preconceito contra a homossexualidade.

No dia das mães a avó não iria substituir a figura materna, pois essa não existia, foi outra situação exigente na escola. João tem dois pais e ponto final. Hoje, depois de confrontos contra inúmeros padrões estabelecidos, o casal inspirou a criação do “dia da família”, um evento realizado pela escola que homenageia a família e que no final faz referência às mães e avós presentes.

Abrindo caminhos fechados e criando novas formas de amar, Lucimar e Rafael, juntos há 20 anos, trazem no peito a marca da coragem, do respeito e do amor incondicional, ingredientes indispensáveis para a formação de uma verdadeira família. Isso é Presença Plena, sem distração.

Dulce Ribeiro no RELEVE-SE
Bate papo e dinâmica com Dulce Ribeiro no RELEVE-SE: Encontro Real Maternidade para quem tem filhos – Fotografia: Caroline Bicocchi

 

>> O RELEVE-SE, um evento Real Maternidade para quem tem filhos, aconteceu em Porto Alegre no dia 15 de Setembro de 2015.

 



There are no comments

Add yours