Garoto de 9 anos acusado de assédio

Garoto de 9 anos acusado de assédio por enviar carta à colega

Sei que o nome da minha coluna é “Mãe Solteira” e que escrevo, majoritariamente, para pessoas solteiras com filhos. Mas não posso deixar de comentar sobre um assunto que virou notícia e acaba mostrando o despreparo da sociedade para lidar com temas que envolvem sentimento, ainda mais quando se trata do mundo infantil.

Pois bem… para quem não acompanhou, resumo aqui. Um garoto de 9 anos foi acusado de assédio sexual por ter escrito uma carta de amor para uma colega de sala. Isso aconteceu em Tampa, na Flórida (EUA), mas demonstra bem a que ponto a sociedade pode chegar.

Na carta, o garoto comparava os olhos da colega a diamantes e dizia que ‘gostava de seus cabelos porque não eram desarrumados’. O problema é que a tal carta (bilhete) foi parar na mesa da professora, e, posteriormente, na sala da diretora.

Após uma reunião entre os funcionários do colégio, ficou decidido que a ação se tratava de um assédio sexual e o garoto foi acusado criminalmente. Dias depois, em entrevista a uma emissora de televisão, a mãe do garoto se revoltou, dizendo que a intenção do menino era das mais puras e que ele sequer sabia o que era assédio sexual.

carta garoto
Crédito: Reprodução / ABC

Triste é observar a involução de uma sociedade que não dá conta das relações entre seres humanos. Por que penalizar uma criança que demonstrou, inadvertidamente, seus sentimentos com relação a outra colega?

Por que a escola não envolveu as famílias em uma discussão maior, se ficou incomodada com a atitude até então inocente de um garoto de 9 anos?

E como fica a cabeça desse menino e de seus pais? Seu primeiro amor virou um caso de Justiça?

Prefiro acreditar no olhar puro e verdadeiro de um menino de 9 anos, que desenhou coraçõezinhos em um bilhete para se declarar para sua amada. E prefiro acreditar que os pais são adultos, que a escola é teoricamente um local aberto à discussão e que a sociedade é madura o suficiente para rever posturas.

E você? O que acha disso tudo?



There are no comments

Add yours