Quem é você após a maternidade

Quem é você após a maternidade?

Eu não sei se você que está aí lendo me conhece, então preciso me apresentar: sou Bianca, mãe de dois lindos garotinhos, Davi de 4 anos e Lucas de 2, psicóloga e coach de mães, idealizadora de um projeto chamado “Renascendo após a Maternidade”. Dou palestras e escrevo sobre essa temática pois desejo levar auxílio, apoio e empatia às mães que passam por este momento de redescobertas. Mas, nem sempre me apresentei desta forma aí de cima. Antes da maternidade era mais ou menos assim a minha apresentação: sou Bianca, casada, trabalho com recursos humanos e estou batalhando para ter um cargo de liderança em uma grande organização.

O que foi que mudou comigo? Tudo! E com você? A maternidade mudou alguma coisinha por aí, que você não sabe bem o que, mas que está dificultando não só o saber se apresentar, mas principalmente saber lidar com isso?

As transformações que a maternidade nos apresenta são muitas, desde as mudanças físicas em um corpo que abrigou outro pelo período de 9 meses, passando pelas mudanças hormonais que oscilam e nos deixam um tanto quanto desnorteadas, até a que quero focar aqui, que são as mudanças no estado emocional desta nova mãe.

Em um puerpério imediato, também conhecido como pós-parto, tudo isso se mistura fazendo com que aqueles primeiros dias sejam de muita confusão mental, alternância de momentos alegres por ter aquele filho nos braços e de momentos tristes pelo que foi perdido a partir do nascimento daquele bebê. Isso é o famoso “baby blues”, e dificilmente existe uma mãe que não tenha vivenciado estas contradições. À medida que o tempo passa, as mudanças físicas e hormonais vão se acomodando (embora não deixem de incomodar a maioria de nós), porém o emocional pode continuar sendo um grande fator de adoecimento das mães, podendo gerar angústias, ansiedades e também a depressão pós-parto.

Motivos para esse adoecimento emocional após a maternidade não faltam: dificuldades em se adaptar à nova rotina de vida; frustrações com a maternidade idealizada na gestação; sentimentos ambíguos com relação à maternidade; contato com nossos sentimentos e lembranças antes não acessados; mudanças na relação conjugal; perda da identidade e individualidade; dentre muitos outros, que eu poderia passar um texto inteiro citando. Mas, e se houvesse uma forma de passar por todos esses desafios de uma forma mais tranquila, segura e confiante? E se fosse possível vivenciar este momento, com todas essas dúvidas, sem tanto sofrimento e angústias?

Posso te afirmar que há uma única forma de lidar com tantas transformações, sem necessariamente adoecer e parar sua vida após a maternidade, e o nome dela é: AUTOCONHECIMENTO.

O autoconhecimento é um processo constante. Nunca nos conheceremos a ponto de sabermos todas as respostas, pois somos seres em constate evolução. Porém, a partir do momento que nos permitimos nos conhecer de fato (entrar em contato com os nossos sentimentos; entender a origem de alguns medos; levar para a consciência o que desejamos fazer da nossa vida; sonhar e avaliar o que é preciso para tornar-se realidade) vamos lidando com os desafios que a maternidade nos coloca de uma forma mais amena; tomando decisões que sejam, conscientes, seguras e, principalmente, SUAS; entendendo os momentos e segurando a ansiedade de voltar a ser quem era antes (embora, eu tenha que te contar que isso não mais acontecerá, você é outra agora).

Para te ajudar nesta busca por autoconhecer-se elaborei 4 perguntas que você precisa se fazer agora para saber quem é você após a maternidade. Sugiro que pegue um papel e caneta; que tire um momento pra refletir sobre essas perguntas e que escreva suas respostas. A escrita é uma ótima forma de aliviar nosso furacão emocional puerperal.

1 – O que guia as minhas decisões hoje?

Provavelmente você não sabe, mas são os nossos VALORES que guiam nossas decisões. Essa palavra é sempre muito dita, mas pouco explorada. Você sabe quais são os seus valores? Só para citar alguns: comprometimento com o próximo, comprometimento consigo própria, honestidade, rotina, desafios, sucesso, respeito, contribuição, segurança, fama, compaixão, liberdade, mudanças, organização, estabilidade, previsibilidade, individualidade, excelência, poder.

São exatamente os valores que mais mudam após a maternidade, justamente por serem os fatores que guiam as nossas decisões. Para deixar mais didático, vou usar meu próprio exemplo mencionado no início do texto: eu trabalhava com recursos humanos e batalhava para ser uma executiva de sucesso em uma grande organização. Por aí, percebe-se que eram valores importantes para mim: sucesso, poder, desafios, reconhecimento. Porém, para alcançar isso, eu tinha que trabalhar no mínimo 40 horas semanais, viajar a trabalho, não presenciar a rotina diária dos meus filhos, dentre outras coisas que após o nascimento deles deixou de fazer sentindo para mim. Valores como presença passaram a ser mais importantes e hoje fazem mais sentido do que o sucesso, por exemplo. Todos nós temos nossa hierarquia de valores e, a partir do momento que descobrimos quais são e em que ordem estão, fica mais fácil tomar decisões difíceis em nossa vida. 

2 – Hoje, abri os olhos e, apesar da noite não ter sido tão boa, me levantei disposta por ?

O que faz com que você se levante todos os dias feliz e disposta, mesmo que sua noite tenha sido com um bebê pendurado no seu peito ou enfrentando a crise da angústia e separação? Eu sei, a primeira coisa que você pensou foi o SEU BEBÊ. Mas, te convido a ir para uma superfície mais profunda, seu bebê faz parte da sua vida, mas para estar feliz e para fazê-lo feliz você precisa de algo a mais; chamamos isso de PROPÓSITO DE VIDA. Para te ajudar nesta resposta, peço que reflita: quando você estiver bem velhinha, sentada com os netos no colo, quais histórias você deseja contar a eles? Qual terá sido o propósito de toda a sua vida?

3 – Que sonhos habitam dentro de mim?

Todos nós sonhamos, porém a grande maioria das pessoas não dá crédito aos próprios sonhos. E aí, não há como torná-los realidade. Os sonhos estão no mundo da imaginação, torná-los realidade é questão de trazê-los para o concreto e planejar o que é preciso para chegar lá. Quais são os seus sonhos? É importante salientar que alguns sonhos deixam de fazer sentido após a maternidade e que outros podem ser adaptados à nova realidade de vida. Mas, desistir não é uma opção viável para quem tem consciência de onde quer chegar.

4 – Para onde estou caminhando?

Pode parecer estranho te perguntar isso agora, no auge da sua maturidade, quando você já tem uma família constituída, mas preciso perguntar: você sabe para onde está indo? Sendo mais clara, quais são seus OBJETIVOS de vida? Tem uma passagem no livro Alice no país das maravilhas que diz: “quando não se sabe para aonde vai, qualquer caminho serve”. E o que mais observo na minha prática profissional são mães que se sentem perdidas justamente por não terem parado para refletir qual é o SEU caminho. Tentamos a todo custo nos encaixar nos padrões “vendidos” pela sociedade ao invés de nos preocuparmos em encontrar o nosso próprio caminho. E você, está indo para onde?

Eu espero que este texto tenha te despertado para a necessidade de que você se conheça para vivenciar uma maternidade mais consciente, tranquila e segura. Também espero que, nesta breve explicação, você tenha percebido que tudo que precisa para saber quem é você após a maternidade está aí dentro de si. Para acessar essas respostas, é preciso parar de viver a vida “à la Zeca Pagodinho” e dedicar um tempo para a autorreflexão.

Para te ajudar ainda mais a mergulhar neste mar do autoconhecimento, te convido a participar do meu 1º Workshop ONLINE e GRATUITO “Renascendo após a Maternidade”. Será do dia 26/09 ao dia 10/10, e você terá a oportunidade de descobrir, em uma série de 4 vídeos, qual o segredo de quem se reinventou após o nascimento dos filhos. Clique aqui e se inscreva para participar!



There are no comments

Add yours