carta à minha filha

Carta à filha mais velha

Filha,

Sabemos que você tem sofrido ultimamente. Como filhos caçulas, nem o papai nem eu experienciamos todas as sensações causadas pela chegada do novo irmãozinho à família. Mas a gente te entende e eu juro, filha, estamos nos esforçando para que esse momento não seja tão difícil para você.

Na sabedoria e na experiência de vida que seus três anos permitem, você está ansiosa e feliz pela chegada da maninha dos seus sonhos. Mas já percebe, ainda que não conscientemente, que não terá mais a atenção total do papai e da mamãe. Você está com medo, filha. Nós também. Por nunca termos tido duas filhas antes. Por não sabermos como será essa nova aventura. Por isso rezamos. E pedimos a Deus serenidade para todos nós nessa fase.

Muito diferente da Marina de antes, você tem estado manhosa, chorona, respondona e fazendo de conta ser uma bebezinha – algo que seria uma grande ofensa há menos de um mês. Agora você brinca de “faz de conta que eu sou uma nenezinha chamada Vitória (!), que, enquanto a mamãe está dormindo, faz a maior bagunça na cozinha – mexendo inclusive, no item mais aterrorizante para uma criança em qualquer residência – o fogão”. Você tem imaginado a sua irmã como uma criança que trará confusão à nossa casa. E você está certa. Ela vai trazer um pouco de bagunça, de barulho e de mudança. Mas também vai trazer fofura, aconchego e sorrisos.

Além disso, você vai ganhar uma amiga. Uma companheirinha de brincadeiras, travessuras e que vai te admirar por toda a vida. Você sempre será a mana mais velha. Será apoiadora, conselheira e cúmplice. Sabe, filha, eu sempre quis ter uma irmã. E você não faz ideia de quanto me alegra saber que você terá uma. Todas amigas com quem já conversei garantem: amor de irmã é diferente, é um dos maiores do mundo <3

E, filha, ela nunca vai ocupar seu lugar. O seu lugar é só seu, na casa e nos corações do papai e da mamãe. A sua irmã vai ter o lugarzinho dela também. E na nossa casa seremos quatro e não mais três amores.

Suelen GiacomeleCrédito foto: Guilherme Ribeiro

 



There are no comments

Add yours