carreira_maternidade05

Maternidade e carreira: 
vencendo o preconceito

Aliar maternidade e carreira é um desafio para qualquer mulher. Preconceito e machismo dentro do ambiente de trabalho não são incomuns e isso afeta muito a vida das recém-mães e de suas famílias.

Triste realidade

Segundo recente pesquisa da FGV, pré divulgada pelo jornal O Globo, pelo menos 48% das brasileiras entrevistadas foram demitidas no período de até dois anos depois da licença. A mesma pesquisa, realizada com mais de 230 mil mães, com idade entre 25 e 35 anos, também mostra que, após seis meses de estabilidade, a probabilidade de demissão de mulheres que acabaram de se tornar mães é de 10%.

Na pesquisa foram ouvidas diversas mulheres que trouxeram relatos importantes. Ariane Whitaker, 35 anos, relatou que no dia que voltou da licença, a mesa dela não estava pronta, a senha do computador não entrava, até que um colega a avisou que o diretor e presidente da empresa estavam esperando por ela, ocasião em que foi demitida.

Erika Ribeiro, 35 anos, que trabalhava como supervisora de recursos humanos e controlava as previsões de aumentos de todos funcionários é outro exemplo desse preconceito. Ela sabia que toda sua área receberia aumento, inclusive ela, na mesma época em que descobriu que estava grávida – informação que passou para seu chefe. No momento do aumento, todos receberam exceto Erika. A justificativa de seu chefe foi de que, como ela logo sairia de licença, não compensava dar o aumento. (Via Estilo.UOL)

O número de gestantes com processos trabalhistas também tem aumentado no Brasil. Segundo o Tribunal Superior do Trabalho, a quantidade de novos processos envolvendo rescisão de contrato de trabalho de gestantes subiu 23,3% entre 2014 e 2016.

Infelizmente, a gestação / maternidade ainda é vista como um “obstáculo” na carreira da mulher. Normalmente são as mães que levam os filhos no médico quando adoecem, levam na creche e sofrem maior preconceito por parte das empresas.

Virando o jogo

Não é o fato de levar o filho numa consulta que vai afetar a carreira da mulher. Pelo contrário, se a mulher reconhece a empresa como acolhedora e apoiadora dela neste momento importante, ela naturalmente se tornará mais engajada e satisfeita.

Pais e mães que ficam em casa para criar seus filhos não estão apenas cuidando de suas famílias. Os bebês de hoje serão os futuros cidadãos, profissionais, consumidores, eleitores. Um período tão importante não pode impactar de forma negativa a vida profissional dos pais.

Além do mais, a maternidade desenvolve vários soft skills que podem ser utilizados também na carreira. Habilidade de assumir riscos, esforço e sacrifício, auto-motivação, planejamento, gestão de recursos, comunicação e oratória, gestão e liderança são apenas alguns desses soft skills que as mães desenvolvem.

Pesquisas em revistas conceituadas como a Forbes mostram que as mulheres que são mães aumentam o seu grau de produtividade se comparado aos seus pares sem filhos. Além do mais, a maternidade faz com que as mães se tornem seres humanos mais empáticos. E quem não quer funcionários produtivos e empáticos?

As mães precisam ser apoiadas em suas escolhas. Devem ser incentivadas a seguirem suas carreiras, caso esta seja a sua vontade. Felizmente existem pessoas e empresas que enxergam tudo isso com bons olhos e estão trabalhando na criação de ambientes propícios para aliar maternidade e carreira. Listamos neste post, em parceria com a 99Jobs, as melhores empresas para mães e mulheres. Vale conferir!

De volta ao trabalho – Real Maternidade

Pensando que a grande maioria das mães se sente diminuída e insegura ao desejar retomar a carreira, apresentamos o projeto  “Real Maternidade – De Volta ao Trabalho”. Esta iniciativa tem o objetivo de ajudar outras mães, pais, empresas e a sociedade em geral a enxergarem a maternidade sob uma nova perspectiva e mostrar que os aprendizados adquiridos com ela podem ser associados também à vida profissional.

Na página do projeto, você vai encontrar dicas preciosas sobre como abordar as habilidades desenvolvidas no período de afastamento do mercado em entrevistas, na hora de montar o currículo, atualizar o LinkedIn e até o portfolio. Vai conferir inicativas bacanas a respeito do tema e se inspirar! Uma ferramenta de empoderamento e melhoria de qualidade de vida das famílias. 

Dentro das empresas

Com objetivo de fortalecer uma cultura organizacional que valoriza as mulheres / mães no ambiente de trabalho, a publicitária e designer de interação Luciana Cattony (idealizadora do Real Maternidade) e a engenheira de produção e especialista em RH Susana Zaman (idealizadora da Nutrimãe) se uniram para uma atuação “ InCompany”, oferecendo às empresas consultoria, palestras e programas que valorizam a mulher / mãe no ambiente do trabalho. Neste post você pode conferir um pouquinho desta atuação.  A maternidade pode sim inspirar um ambiente corporativo engajador, produtivo e feliz!


Palestra online – Maternidade: impulso ou obstáculo de carreira? Um dos serviços oferecidos por Luciana Cattony e Susana Zaman

Está na hora de pensar diferente para vencer o preconceito! Com consciência, orgulho e felicidade.

Vamos lá?



There are no comments

Add yours