10 dicas para economizar no material escolar

10 dicas simples para economizar no material escolar

O começo do ano é marcado por muitas despesas e, para quem tem filhos estudando, também é preciso bancar o material escolar. A cada ano que passa, as listas parecem maiores – e cabe aos pais ter jogo de cintura para não deixar isso arruinar o orçamento da família. As dicas a seguir vão ajudá-la a economizar no material escolar, confira!

1. Veja o que pode ser reaproveitado

Com a lista de material escolar em mãos, verifique quais itens seus filhos já têm em casa e ainda estão em boas condições de uso – réguas, tesouras, mochilas e estojos costumam se encaixar nessa categoria. Nessa hora, é preciso ser forte e resistir às reclamações das crianças, que podem protestar por quererem um material novinho em folha.

2. Passe de um filho para o outro

Se você tiver filhos com idades próximas, veja o que é possível reaproveitar do material do mais velho. Essa dica é especialmente aplicável em casos de material didático e paradidático.

3. Compare preços

Uma pesquisa da Proteste encontrou até 3.233% de diferença no valor de um mesmo item escolar, no Rio de Janeiro – neste caso, um apontador de lápis simples. Em São Paulo, a variação chegou a 1.405%. Ir à papelaria mais próxima pode até ser cômodo, mas as consequências aparecem no bolso. Aproveite para pesquisar preços pela internet.

4. Siga a lista rigorosamente

Essa dica pode parecer óbvia, mas só quem tem filhos pequenos sabe como é difícil segui-la. As papelarias costumam deixar armadilhas para incentivar o consumismo, como itens supérfluos em prateleiras ao alcance dos olhos da criançada. Seja firme e evite cair no “Mamãe, eu quero!”

5. Deixe um pouco para depois

Postergar a compra de alguns itens pode trazer um alívio e tanto. Veja o que não precisa, necessariamente, ser adquirido entre janeiro e fevereiro – meses em que os preços estão disparados por conta da demanda – e deixe para depois.

6. Compre em conjunto

Experimente juntar-se a alguns pais para aproveitar os preços atrativos de lojas de atacado. Elas são ótimas para comprar canetas, borrachas, lápis e outros itens facilmente encontrados em pacotes e que podem ser usufruídos por crianças de praticamente todas as idades.

7. Visite sebos

Comprar livros usados é uma medida econômica e sustentável, mas pede cuidado: veja se eles estão em boas condições de uso, checando rabiscos, integridade das páginas e se o antigo dono não resolveu os exercícios no próprio livro. Também é preciso observar a edição, pois, se for muito antiga, pode não conter atualizações de conteúdo importantes para seu filho.

8. Cuidado com os itens mais caros

As crianças são mais suscetíveis a serem influenciadas por publicidade e amiguinhos de escola e, por isso, os produtos com personagens e marcas licenciadas costumam fazer muito sucesso entre elas. No entanto, esses itens são justamente os de valor mais elevado. Cuidado para não ceder à chantagem dos pequenos e levar materiais mais caros.

9. Prefira pagar à vista

Acredite se quiser: não existem compras no cartão de crédito que sejam realmente sem juros. Por isso, pagar em uma tacada só é um jeito de negociar descontos e melhores condições de pagamento. Apenas tome cuidado para que isso não comprometa seu orçamento.

10. Atenção às exigências abusivas

A Lei 12.886/2013 determina que itens de uso coletivo, higiene e limpeza não podem ser inclusos na lista de materiais, pois isso é considerado prática abusiva. A escola também não pode exigir que os pais comprem itens de uma marca específica ou em um determinado estabelecimento. Questione na hora!



There are no comments

Add yours