FOTOS GUSTAVO ANDRADEgustavo@gustavoandradephoto.com.br

O que rolou no Seminário de Mães 2018

Mais uma vez tive a alegria de ser convidada pelo Real Maternidade para participar do Seminário Internacional de Mães e desta vez foi ainda mais engrandecedor e emocionante. É muito bom participar e ouvir cada palestrante e se sentir acolhida e querer aplicar tudo de bacana que ouvimos na criação (nada fácil) dos nossos filhos.

Sempre gostei de assistir ao programa Cozinha Prática da Rita Lobo no GNT e vê-la pessoalmente falando sobre a importância da alimentação saudável e cozinhar “comida de verdade” fez tudo parecer mais fácil. Ela disse algo óbvio mas que nunca tinha pensado: “cozinhar é uma habilidade humana, os animais não cozinham”. Por que não colocar em prática então? Rsrsrs . Ela nos contou sua história de como aprendeu a cozinhar em 1995 quando foi morar fora e, como ela, também sou de uma geração que não aprendeu a cozinhar e fui “poupada” da cozinha para focar meu tempo nos estudos e buscar a independência. Somente após o casamento e o nascimento do meu filho que aprendi a arte culinária e a sentir este prazer.

Rita Lobo falou sobre a importância de cozinharmos e ensinarmos nossos filhos a cozinharem em busca da alimentação saudável e do combate à obesidade. Ela também disse que a alimentação dever ser uma preocupação das mães e também dos pais. Alertou-nos do risco do consumo dos alimentos ultraprocessados, que são aqueles alimentos hiper-palatáveis, que incentivam a comer compulsivamente contribuindo para a obesidade; por isso a importância de lermos cuidadosamente os rótulos. Finalizou dizendo que nosso famoso Pê-efe é uma dieta maravilhosa ao fazermos a combinação perfeita do arroz e feijão, legume, hortaliça e um pouco de carne. Fiquei orgulhosa de saber que nossa dieta brasileira é adequada. Bora comer arroz e feijão sem culpa!!!

Lorraine Thomas, pioneira no trabalho de coaching para pais, autora e consultora da Walt Disney para a produção do roteiros de filmes infantis, destacando-se a animação “Divertidamente”, deu dicas valiosas sobre como ser uma mãe resiliente e sobre como criar filhos resilientes. Explicou que resiliência tem a ver com a gestão das emoções. Mostrou-nos a importância de fazer com que nossos filhos, desde pequenos, falem de seus sentimentos pois assim eles falarão de seus sentimentos quando forem adolescentes. Temos de ajudar nossas crianças a exercerem a resiliência, a gerenciarem as emoções de forma saudável, pois “é normal deparar-se com sentimentos desafiadores e dolorosos”. Por isso sugeriu que verificássemos como estamos administrando o nosso stress e reservássemos um tempo para descontração em família pois é uma forma de conexão entre todos; assim estamos ensinando nossos filhos a usarem esta ferramenta nos momentos necessários.

Márcio Atalla, um dos profissionais mais influentes e respeitados na área de saúde do país, de forma descontraída, porém firme, falou da “família em movimento” e da importância do bem estar físico. Dispôs que o ser humano busca o que é mais cômodo para não fazer esforço físico pois nosso corpo é preparado para estocar energia. Alertou-nos que o sedentarismo é fator de risco para quase todas as doenças como câncer, doenças do coração, depressão e a forma de combatermos este quadro é realizando atividades físicas com frequência, criando o hábito de se exercitar e tendo uma alimentação saudável. Reforçou a importância em investirmos em qualidade de vida, contribuindo para que nossas crianças se movimentem pelo menos uma hora por dia pois a atividade física também contribui para o aprendizado cognitivo. Finalizou dizendo que o ponto é o equilíbrio e como se leva o estilo de vida, comendo de forma saudável ao ingerir fibras, bebendo água e não exagerando em sal e açúcar.

Roberta Bento e Taís Bento, neurocientistas, educadoras, autoras e queridas colunistas do Real Maternidade, nos emocionaram ao dizer o que podemos fazer pelos nossos filhos. “Devemos ensiná-los a ter paciência, empatia e saberem lidar com a frustração”. No site www.soseducacao.com.br elas compartilham dicas valiosas para as mães que reclamam “socorro, meu filho não estuda”. Segundo elas, existem atividades que ajudam a planejar o cérebro para o aprendizado como: a prática da atividade física (mais um palestrante realçando este tema!); dormir; práticas espaçadas para reiterar o conteúdo já visto na escola como realizar a lição de casa; criação de memórias como ao realizar viagens; trabalhar a auto estima; dar uma responsabilidade doméstica para o filho, como tirar os pratos da mesa. Enfim, mostraram a importância da neuroplasticidade – que é a capacidade de o cérebro se recompor ao receber os estímulos corretos. Nós, pais e mães, podemos ajudar nossos filhos nesta questão e atuar diretamente modificando realidades e “incapacidades”!

Por fim, Laís Bodanzky e Maria Ribeiro – diretora e protagonista, respectivamente, do premiado filme “Como nossos pais”- fizeram um bate-papo delicioso sobre “a desconstrução de modelos” abordando questões do premiado filme. Relacionamentos familiares e o papel da mulher e mãe hoje foram abordados com simplicidade e leveza.

Muito gratificante ter participado deste Seminário que acolhe as mães com tanto carinho e ver nossa importância na criação e formação dos adultos do futuro, somos responsáveis por isto. Percebi através das palestras da importância da atividade física para nossas crianças nos aspectos da saúde física, emocional e educacional.


Obrigada, Real Maternidade!
Grace Resende



There are no comments

Add yours