Plenary session at the European Parliament

“Mãe” no currículo? Será que as empresas estão preparadas para isso?

Como cuidadoras da família, as habilidades da mãe incluem fazer várias tarefas ao mesmo tempo, negociar e gerenciar conflitos. Quando se trata de voltar ao mercado de trabalho, no entanto, há a maneira certa e a errada de enfatizar essas habilidades no currículo.

Mais de dois terços dos gerentes que contratam membros de equipe dizem que as habilidades dos pais podem ser uma experiência relevante no mundo corporativo, de acordo com uma nova pesquisa realizada pela CareerBuilder com 2.138 gerentes que estão atualmente contratando membros para suas equipes. O website de carreira também falou com 464 mães que trabalham – 8% das quais disseram que mencionaram habilidades parentais em seus currículos ou cartas de apresentação.

“Quando os empregadores estão preenchendo uma vaga, eles estão procurando alguém que saiba fazer com que suas habilidades e experiência sejam relevantes para esse empregador”, disse Jennifer Grasz, uma porta-voz do CareerBuilder. Outra pesquisa realizada pelo CareerBuilder descobriu que 77% dos empregadores acham que “habilidades intangíveis “, como ética de trabalho e malabarismo com várias prioridades, são uma consideração tão importante quanto as “habilidades difíceis” específicas ao trabalho quando se contrata um novo funcionário. As realizações alcançadas pelo fato de serem “pais” também podem qualificar, disse ela.

Esta é uma boa notícia para as mães que estão mudando de emprego ou reingressando no mercado de trabalho. Quase três quartos das mães que trabalham disseram que ainda trabalhariam mesmo que não precisassem, de acordo com uma nova pesquisa com 259 mães realizada pela empresa de pessoal Express Employment Professionals. “Sou extremamente preconceituoso a favor delas”, disse Robert Funk, presidente e CEO da Express Employment Professionals. “Elas têm dois empregos, um durante o dia e um durante a noite com seus filhos.”

Mas quanto tempo ficar fora do trabalho depois de ter um bebê pode ser uma questão financeira contenciosa – é justamente o ponto que mais causa briga entre os casais que estão esperando bebês, de acordo com uma pesquisa recente realizada pela NerdWallet com 1.217 mães. As consequências financeiras podem ser caras.

Em um relatório no ano passado, a Pew Research descobriu que 29% das mães não estavam trabalhando fora de casa em 2012, contra 23% em 1999. Os pesquisadores afirmam que o aumento dos custos com assistência à infância é um fator – pode ser mais barato ficar em casa. (Essas taxas variam amplamente: residentes no Mississippi pagam uma média de US$ 5.496 por ano para cuidados infantis e os residentes em Massachusetts pagam uma média de US$ 16.549, de acordo com um relatório da Child Care Aware América de 2014).

Seja você uma mãe mudando de emprego ou retornando para o mercado de trabalho depois de ficar em casa por um tempo, tenha cuidado como você irá mostrar essas habilidades parentais durante a sua procura por uma vaga, disse o consultor de estratégia de marketing Dorie Clark, autor de “Stand Out”. A maioria dos empregadores ainda vê o trabalho e a parentalidade como interesses concorrentes. “Ainda há muita preocupação de que os pais possam priorizar as questões familiares em relação ao seu trabalho”, disse ela.

“Em vez de propagandear em seu currículo, que é o primeiro ponto de entrada, eu esperaria até mais tarde no processo”, disse Clark. Você pode mencionar na entrevista, por exemplo, que o fato de ser mãe ensinou-lhe habilidades como gestão do tempo. E isso a torna uma funcionária ainda melhor.

Habilidades adquiridas com a parentalidade   
Empresas que valorizam essas habilidades
Paciência 67%
Habilidade de fazer muitas coisas ao mesmo tempo 62%
Gerenciamento do tempo 59%
Gerenciamento de conflitos 51%
Resolução de problemas 51%
Empatia 43%
Mentoria 40%
Negociação 37%
Administração de recursos (finanças) 36%
Gerenciamento de Projetos 30%
FONTE: CareerBuilder.com

 

Mas se você tem um intervalo no seu currículo de tempo que ficou em casa, vá em frente e mencione na sua carta de apresentação que você está animada em voltar depois de ter passado tempo com seu bebê. “Isso ajuda a ser direta com os empregadores sobre o motivo pelo qual você ficou afastada”, disse Funk. Saber que você escolheu tirar um tempo pode deixar os empregadores com uma impressão melhor do que se você disser que teve dificuldade para encontrar um emprego depois de ter saído do trabalho/ ter sido demitida, especialmente se você puder mostrar que você acompanhou os desenvolvimentos em seu campo.

Também pode ser inteligente mencionar habilidades parentais em conjunto com outras experiências. Se você foi presidente da Associação de Pais e Professores ou treinou um time de esportes infantil durante seu tempo fora do mercado de trabalho, mencione isso, disse Clark. “Quando você tira um tempo para ser mãe, alguns empregadores podem pensar que foi um tempo passado em branco onde você sentou-se sem fazer nada”. “Mas você fez coisas muito valiosas … Você pode fazer um bom caso de si mesma.”

Veja artigo original, em inglês.

>> Na foto que ilustra o post, temos Licia Ronzulli, membro do parlamento europeu e sua filha Vittoria numa votação em Strasbourg, França (2012).

 


Projeto Real Maternidade reforça as habilidades maternas e mostra como elas podem ser aplicadas no ambiente de trabalho

Pausou a carreira pelos filhos e deseja se inserir ou voltar ao mercado? Conheça o projeto “Real Maternidade – De volta ao trabalho“. O projeto apresenta dicas valiosas para quem deseja ingressar no mercado de trabalho ou retomar a carreira pós maternidade! Você vai ver que além de mais empática e produtiva, a mãe pode ser também uma profissional muito melhor. Bacana demais!

 

 


Iniciativa “Maternidade nas Empresas” mostra que a maternidade impulsiona, além de pessoas, as empresas e a sociedade. 

A iniciativa “Maternidade nas Empresas” ajuda as empresas a avançarem no tema “equidade de gênero”, trabalhando com um dos principais fatores que impedem a evolução profissional das mulheres: a maternidade. Ações de educação e fomento em relação ao tema – para a liderança e demais colaboradores, ações pontuais tendo em vista o ciclo de vida do colaborador, além de conteúdo estratégico são oferecidos às empresas que desejam prosperar em relação à equidade de gênero.


 

A Circle Brasil nos ajudou com a tradução deste artigo. Acesse a plataforma de cursos online para você se desenvolver no inglês e também no espanhol. Excelente experiência com a professora Patrícia Weigert. A gente super recomenda! Obrigada Pati! <3

 

 

 



There are no comments

Add yours